AGORA É LEI. SÃO PAULO DIZ NÃO AO CANUDINHO PLÁSTICO!

O prefeito Bruno Covas sancionou nessa terça-feira (25) a Lei do Canudo - 17.123/2019, de autoria do vereador Xexéu Tripoli, que proíbe de fornecimento de canudos plásticos em estabelecimentos comerciais da cidade.

“Não é apenas um canudinho e uma proibição efêmera. É um passo decisivo para combater uma quantidade de lixo absurda na cidade de São Paulo, que entope bueiros e causa muitos problemas. E uma das maiores crise ambientais que o Planeta atravessa.

Já protocolei o projeto de lei 99/2019 para ir adiante nessa conscientização, agora evitando os produtos plásticos de uso único. Precisamos falar também dos copos, pratos, garfos e tudo aquilo que a gente usa uma vez, joga fora e vira um transtorno ambiental.

Aproveito o momento e entrego em mãos o relatório do Compromisso Global ao prefeito Bruno Covas, que entendeu meu pedido para que São Paulo fosse signatária da Nova Economia do Plástico, uma ação liderada pela ONU e pela Fundação Ellen MacArthur”, explicou o vereador Xexéu Tripoli.

O Compromisso é que a cidade adote ações para redução do uso do plástico, mas não estabelece metas –que devem ser definidas pelo próprio município. A ideia é a de eliminar o uso de embalagens de plástico desnecessárias, encorajar modelos de reúso do material e melhorar os índices de reciclagem do município, entre outras ações.

O Projeto de Lei para banir canudos é uma das ações que consta no relatório. A prefeitura terá 180 dias a contar da publicação da lei no Diário Oficial do município para regulamentar a lei. Em coletiva de imprensa, Covas disse que pretende usar um período menor para tal. Após a regulamentação, os donos de restaurantes, bares, padarias, hotéis, clubes noturnos e eventos musicais terão 180 dias para se adaptarem.

Prefeito Bruno Covas recebe do vereador Xexéu Tripoli o relatório do Compromisso Global da Nova Economia do Plástico, liderado por ONU e Fundação Elle MacArthur, e que traz São Paulo como a primeira cidade signatária do hemisfério sul.   “Não é porque o governo federal não quis assinar que São Paulo vai abrir mão de seu compromisso com as futuras gerações e com o meio ambiente, ou seja, de seu compromisso em reduzir a dependência que temos do plástico. A geração atual está disposta a abrir mão de conforto para garantir a preservação da vida no planeta”, disse o prefeito.

Prefeito Bruno Covas recebe do vereador Xexéu Tripoli o relatório do Compromisso Global da Nova Economia do Plástico, liderado por ONU e Fundação Elle MacArthur, e que traz São Paulo como a primeira cidade signatária do hemisfério sul.

“Não é porque o governo federal não quis assinar que São Paulo vai abrir mão de seu compromisso com as futuras gerações e com o meio ambiente, ou seja, de seu compromisso em reduzir a dependência que temos do plástico. A geração atual está disposta a abrir mão de conforto para garantir a preservação da vida no planeta”, disse o prefeito.

Na justificativa do projeto sancionado,  Xexéu Tripoli  argumenta que a aprovação da medida alinharia São Paulo às "cidades mais desenvolvidas do mundo no combate à poluição do meio ambiente".   "Na condição de signatários da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), é nosso dever ter uma gestão eficiente de resíduos e tornar nossa cidade mais sustentável. De uso individual e efêmero, o canudo plástico é um dos problemas ecológicos contemporâneos mais urgentes”, afirmou Tripoli.

Na justificativa do projeto sancionado, Xexéu Tripoli argumenta que a aprovação da medida alinharia São Paulo às "cidades mais desenvolvidas do mundo no combate à poluição do meio ambiente".

"Na condição de signatários da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), é nosso dever ter uma gestão eficiente de resíduos e tornar nossa cidade mais sustentável. De uso individual e efêmero, o canudo plástico é um dos problemas ecológicos contemporâneos mais urgentes”, afirmou Tripoli.

canudofaixa.jpg