MOVIMENTO ÚLTIMO CANUDO

Quando o químico belga Leo Baekeland criou o primeiro plástico sintético, em 1909, não previu que sua invenção se tornaria uma praga ambiental.

Um século depois, o material que revolucionou as embalagens e utensílios, facilitou a industrialização e a comercialização de inúmeros produtos e deixou mais prático o dia a dia dos consumidores, transformou o planeta em um enorme lixão.

A consequência do “uso descartável de material com prazo de validade indeterminado” pode ser avaliada  com números alarmantes:

Milhões de animais marítimos morrem todo ano, vítimas do plástico.

80% da poluição dos mares é vinda de terra firme.

Nos últimos 10 anos produzimos mais plástico do que o século passado inteiro.

E somente 5% desse plástico foi reciclado.

Ainda teremos séculos para lidar com o lixo plástico que produzimos até hoje, e que está se fragmentando em micropartículas, sendo consumidas até mesmo por nós, seres humanos.       83% das amostras de água potável de cinco continentes contém microplásticos. 

 

O QUE FAZER AGORA? 

UMA REVOLUÇÃO DE HÁBITOS E AÇÕES. 

 

O vereador Reginaldo Tripoli protocolou a lei 99/2018 ( veja mais em Projetos de Lei) que proíbe a comercialização de canudos plásticos em São Paulo. Entretanto, quanto mais pesquisamos o assunto, mais claro fica que o combate aos descartáveis plásticos não será apenas pela proibição, mas pela educação e diálogo. 

No Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, o vereador, como presidente da Comissão do Meio Ambiente, tratou o assunto em audiência pública, com os convidados:

 

FERNANDA DALTRO, coordenadora da campanha #MaresLimpos da ONU Meio Ambiente

PAULINA CHAMORRO, jornalista ambiental e representante da National Geographic Brasil

JOÃO MALAVOLTA, diretor da ONG Ecosurf e parceiro da ONU Meio Ambiente 

LEANDRA GONÇALVES, pesquisadora do Instituto Oceanográfico da USP

 

Na data, o vereador lançou o Movimento Último Canudo, campanha que vem ganhando força em outros países. São Paulo, sendo capital gastronômica, pode e deve participar desse movimento com mais convicção.

Para isso, estamos convidando também chefes de restaurantes, donos de bares, representantes de associações e entidades, redes de hotéis, escolas, cidadãos e VOCÊ para levar a iniciativa adiante. 

 

TRANSFORMAÇÕES COMEÇAM COM ATITUDE, CONSCIÊNCIA E ENGAJAMENTO.

SÃO COMPROMISSOS QUE ASSINAMOS COM NÓS MESMOS E COM FUTURAS GERAÇÕES.

COM SEU APOIO, ESSE FUTURO CONVERTE-SE EM PRESENTE, E ESTE MANIFESTO, EM AÇÕES.

 

#1 QUESTIONE HÁBITOS

Preciso mesmo disso? 

Dúvidas promovem novas ideias, que fundamentam nossas ações em decisões.

 

#2   "NÃO, OBRIGADO"

Mudanças começam recusando o passado.

Dizer "não" a um canudo plástico demonstra coerência entre o que queremos e o que praticamos.

 

#3   PROMOVA A MUDANÇA

Que tal substituir canudos plásticos por canudos biodegradáveis ou reutilizáveis?

Dar canudos apenas a quem pede? Ou misturar a bebida com uma colher?

 

#4   COMPARTILHE

A participação de todos é imprescindível.

Dê o exemplo, fale do movimento, todos podem participar da criação de um futuro sustentável.  #UltimoCanudo.

 

#5   Rs DA SUSTENTABILIDADE

Repensar, recusar, reciclar, reutilizar e reduzir são ações que definem nossa responsabilidade pelo amanhã. 

 

 #UltimoCanudo   Compartilhe nas redes suas dicas de sustentabilidade e combate ao uso desnecessário do plástico de uso único como canudinhos, copinhos, pratinhos, etc...    

#UltimoCanudo 

Compartilhe nas redes suas dicas de sustentabilidade e combate ao uso desnecessário do plástico de uso único como canudinhos, copinhos, pratinhos, etc...