ECONOMIA CIRCULAR, MUITO ALÉM DO CANUDINHO


EC.jpg

2a AUDIÊNCIA PÚBLICA PL99/2018

Em novembro, o vereador Reginaldo Tripoli realizou a segunda audiência para discutir o PL99/2018, que dispõe sobre a proibição de fornecimento de canudos plásticos em estabelecimentos comerciais no município de São Paulo.  

Em junho, a primeira audiência trouxe foco na crise global que o plástico causa ao meio ambiente.

Desta vez, o objetivo era apresentar os três princípios da Economia Circular: reaproveitar o material já existente, regenerar o meio ambiente e criar novos negócios.

Luisa Santiago, representante da Fundação Ellen MacArthur no Brasil e América Latina, a convite do vereador, explicou a importância de acelerar a transição da economia linear – extrair, consumir, descartar – para a economia circular. E fez um convite para a cidade de São Paulo assinar o Compromisso Global da Nova Economia do Plástico.

A Fundação Ellen MacArthur foi estabelecida em 2010 com a missão de acelerar a transição rumo a uma economia circular. Desde a sua criação, a Fundação se tornou uma das líderes globais de pensamento, inserindo a economia circular na agenda de tomadores de decisão em empresas, governos e na academia.  

 Foram convidados também para participar da Audiência:

 _ Monty Dahan, diretor de planejamento e desenvolvimento da Amlurb (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana), responsável pela gestão dos resíduos e limpeza urbana na cidade de São Paulo. 

 _ Chicko Sousa, líder da start up Plataforma Verde  - única start up brasileira a receber o prêmio Technology Pioneers no Fórum Econômico Mundial-, responsável pelo novo projeto da Amlurb para rastrear o resíduo na cidade de São Paulo, com aplicação de blockchain, trazendo mais transparência, agilidade e inteligência ao sistema de limpeza municipal.

 _ Flávio de Miranda Ribeiro, gerente do departamento de resíduos sólidos da CETESB

 _ Silva Rolim, gerente da Plastivida Instituto Socioambiental dos plásticos