OUTUBRO ROSA

 Você sabia que cadelas e gatas também podem desenvolver câncer de mama? 

O câncer de mama é uma doença de difícil tratamento nesses animais, sendo comumente necessária a remoção de toda a cadeia mamária. A doença também pode se manifestar em machos, mas com baixa prevalência. 

Cadelas 

As cadelas têm, em média, cinco pares de glândulas mamárias, variando de quatro a seis pares. O tumor mamário é o tumor mais comum em cadelas, e cerca de metade deles é maligno. O câncer de mama é mais comum em cadelas não castradas acima de cinco anos, normalmente se manifestando ao redor de 10 anos de idade. 

A forma mais efetiva de prevenção é a castração, especialmente antes do primeiro cio. Em cadelas, a incidência de tumor de mama é de 0,5% com a castração antes do primeiro cio, 8% após o primeiro ciclo estral e 26% após dois ou mais ciclos. 

Gatas 

As gatas têm quatro pares de glândulas mamárias. O câncer de mama é o terceiro câncer mais comum nesses animais. Em gatas, 85% dos nódulos mamários são malignos. 

A forma mais efetiva de prevenção é a castração, especialmente antes do primeiro cio. A incidência dos tumores mamários é reduzida em 91% em gatas castradas antes dos seis meses de vida e em 85% nas castradas antes de um ano de vida. 

Cuidados 

A vigilância deve ser permanente, especialmente em fêmeas não castradas, que têm grande predisposição para o desenvolvimento do câncer de mama. A qualquer sinal de formação de nódulos ou feridas que não cicatrizam na região mamária, assim como algum tipo de secreção nas mamas, os animais devem ser levados ao veterinário o mais rápido possível. 

Além disso, evite o uso de contraceptivos hormonais em cadelas ou gatas, pois aumentam significativamente a incidência da doença. 

O tratamento é difícil e comumente envolve a mastectomia completa, seguida ou não de quimioterapia. Pode ocorrer metástase para linfonodos e pulmões, principalmente. Após a cirurgia, 58% das cadelas e 66% das gatas apresentam recidiva. 

Não arrisque, previna o câncer de mama e castre seu animal o mais cedo possível! 

A castração tem diversos efeitos benéficos e é essencial para promover o bem-estar de cães e gatos. Pratique a guarda responsável e castre seu animal. 

insta_out_rosa.jpg

Bibliografia 

ALENZA, M. D. P. et al. Factors influencing the incidence and prognosis of canine mammary tumors. Journal of Small Animal Practice 2000, 41, 287-291. 

FONSECA, C.S. & DALECK, C.R. Neoplasias mamárias em cadelas: influência hormonal e efeito da ovário-histerectomia como terapia adjuvante. Ciência Rural, 2000, 30(4):731-73. 

HAYES, A.A. & MOONEY, S. Feline Mammary Tumors. In: Veterinary Clinics of North America: Small Animal Practice, Vol 15 (3), 1985, 513-520. 

MACEWEN, E. G. Spontaneous tumors in dogs and cats: Models for the study of cancer biology and treatment. Cancer and Metastasis Reviews, 1990, Vol 9 (2), 125. 

NORDIN, M. L. et al. Recent Overview of Mammary Cancer in Dogs and Cats: Classification, Risk Factors and Future Perspectives for Treatment. IOSR Journal of Agriculture and Veterinary Science. Vol 10 (8), 2017, 64-69. 

RUTTEMAN, G. R. et al. Tumors of the mammary gland. In: Small Animal Clinical Oncology 2001. 3rd ed. W.B. Saunders, Philadelphia, 455-477. 

SIMON, D. et al. Postoperative Adjuvant Treatment of Invasive Malignant Mammary Gland Tumors in Dogs with Doxorubicin and Docetaxel. J Vet Intern Med 2006;20:1184–1190. 

SORENMO, K. U. et al. Effect of Spaying and Timing of Spaying on Survival of Dogs with Mammary Carcinoma. J Vet Intern Med 2000;14:266–270 . 

VISTE, J.R. et al. Feline mammary adenocarcinoma: tumor size as a prognostic indicator. Can Vet J. 2002 Jan;43(1):33-7. 

ZAPPULLI, V. et al. Feline mammary