PRESTES A SER IMPLANTADA EM SÃO PAULO, LEI ANTICANUDO PEGOU COM RESTRIÇÕES NO RIO

Produto reduziu nos restaurantes, mas não é difícil encontrá-lo; comerciantes criticam falta de debate

Uma legislação parecida foi aprovada recentemente em São Paulo e agora aguarda a sanção e regulamentação do prefeito Bruno Covas (PSDB), que deverá acontecer em breve. Formulada pelo vereador Reginaldo Tripoli (PV), ela prevê que só poderão ser fornecidos canudos em papel reciclável e material comestível ou biodegradável.

O vereador Tripoli acredita que a lei “pegará” mais na capital paulista do que no Rio. Ele diz que protocolou seu projeto antes da prefeitura do estado vizinho e que deu tempo para que o debate amadurecesse e os comerciantes absorvessem as mudanças propostas.

“Em São Paulo, estamos conversando há um ano. Houve audiências públicas, e isso facilita a transição para a extinção dos canudos, tornando o processo mais tranquilo que no Rio”, afirma Tripoli. 

“A consciência do paulistano é bem forte com a questão ambiental. No Rio, creio que a questão da praia é muito significativa para a dificuldade de implantar o projeto, além do tempo curto que deram para a adaptação até a sanção da lei”, completa o vereador.

LEIA NA ÍNTEGRA EM FOLHA DE S.PAULO (MAIO 2019)

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2019/05/prestes-a-ser-implantada-em-sp-lei-anticanudo-pegou-com-restricoes-no-rio.shtml

15584802025ce4854aa02ab_1558480202_3x2_lg.jpg